A Fazenda Colubandê é minha

969
Foto: Mapa de Cultura

E eu sou dela. Quando ela me chama, eu vou, caminhando ou pedalando, geralmente no início da manhã. Me sento nos degraus, em frente à Capela, também o lugar preferido de muitas espécies de formigas, que seguem suas trilhas para todos os lados.

Como nós, gonçalenses, somos privilegiados pela existência da Fazenda Colubandê.  Única, tão calma e tão próxima do caos e da sujeira das ruas. Refúgio da paz que acompanha o verde das árvores e o vento ameno. Lugar que abertamente nos ensina de onde viemos, o princípio de nossa história.

São Gonçalo passa apressada, congestionada, logo abaixo. Na Fazenda ouve-se o som da pedreira que fica no mesmo bairro, o progresso que destrói, mas o rico e amigável canto dos pássaros é muito mais nítido.

Nada e ninguém, além da Fazenda Colubandê, pode oferecer gratuitamente o isolamento perfeito, próximo, de fácil alcance. Nela observo a cidade com o resguardo da sensatez e sabedoria da natureza, mais antiga que nós; tão perto de casa, longe o suficiente do escapamento dos veículos, ela tem espaços de sobra para meditar (apenas pássaros cruzando o ar interrompem), tanta coisa para ver.

Ao lado do aperto claustrofóbico de Alcântara, diante do desenvolvimento inquieto do Colubandê, a Fazenda é um universo infinito de detalhes prazerosos: cheia de segredos, relvas, árvores imponentes, repleta do verde escasso no centro urbano gonçalense. O ar puro e o silêncio favorecem a reflexão, o aprendizado consigo mesmo e com o passado ao redor, presente nos muros e paredes da Sede e da Capela. Duas provas de que o ser humano pode construir coisas belas.

No mesmo ambiente ainda é possível jogar, correr ou andar e descobrir novos caminhos; a ação é tão estimulada quanto a contemplação. Dá vontade de passar o dia inteiro na Fazenda Colubandê, acampar, fazer piquenique, descansar.

Quando a deixo para voltar à rotina normal, ela diz “Volte logo, não demore”, como uma amante devota. Digo adeus e saio revigorado, pedalando ou caminhando, preparado para qualquer coisa. A Fazenda Colubandê é minha.

RESPONDA AO COMENTÁRIO

Escreva seu comentário aqui.
Por favor, insira seu nome aqui.