Carnaval não dá votos como antigamente

2778
Escola de Samba de São Gonçalo – Universo

A segunda semana de janeiro de 2016 começou quente. A Prefeitura Municipal de São Gonçalo, como diversas outras cidades brasileiras, cancelou o carnaval das escolas de samba, alegando crise, falta de dinheiro, essas coisas. Tudo dentro do roteiro padrão de que “há outras prioridades”. Mas, especificamente sr. secretário e sr. prefeito, quais seriam? Falar “saúde e educação” é muito vago.

Em 2015, a prefeitura declarou ter gastado a quantia de cinco milhões e trezentos mil reais (5.300.000,00) na montagem do carnaval da cidade. Cerca de 3 vezes mais que Niterói no mesmo ano. Na época, a reportagem do Jornal Extra (23/02/2015) trouxe questões importantes à tona. Uma delas foi o descaso com as contas na cidade. Segundo a própria prefeitura, em 2015, desses mais de 5 milhões de reais, apenas 1 milhão foi usado para montagem dos palcos. Sem falar na desculpa esfarrapada de que o restante do dinheiro “pode ser utilizado em outros eventos, como o aniversário da cidade, ou em áreas como Saúde e Educação”.

Ou seja, há 1 ano atrás, “Saúde e Educação” foram desculpa para a sobra de dinheiro não explicado. Parece que esse governo está achando que todo mundo é trouxa por aqui.

Na prática, toda essa movimentação da prefeitura se justifica. Com pouco, seria mais justo distribuir todo o dinheiro entre os carnavais de bairro ao invés de despejá-lo nas pequenas agremiações. Entretanto, por que o governo não se planejou para comunicar a aprovação ou cancelamento das escolas no ano anterior? Precisa ser de surpresa?

O carnaval gonçalense ainda gera votos?

Do lado eleitoral, uma coisa ficou clara para ser pensada: o poder político e eleitoral dessas pequenas agremiações já não existe como antes. Se há alguns anos atrás, elas eram uma das poucas diversões nas comunidades, hoje são apenas mais uma. Shoppings, igrejas e internet entraram no jogo da atenção. Para as escolas, fica um breve papel na semana do carnaval.

Por outro lado, a G.R.E.S Unidos do Porto da Pedra, escola de samba da cidade, pôde contar com a prefeitura que, inclusive, espalhou suas faixas dentro da escola, com alguns nomes em evidência, que não valem ser mencionados neste post. Nessa hora, é importante fazer uma diferenciação, pois o grêmio recreativo tem destaque na imprensa, emprega pessoas, movimenta a comunidade do samba, além de ser uma referência por conta do tempo que abrigou o Castelo das Pedras. Definitivamente, a escola tem presença na vida gonçalense, ao contrário das pequenas agremiações, que tem pouca ou nenhuma relevância no ano, infelizmente. Por isso, na Porto da Pedra todo mundo quer colar.

Tem muito caroço nesse angu, bem além dessa simples explanação. Em breve, vamos publicar o desenrolar dessa história que está bem além do carnaval: uma guerra pelo poder municipal.

Fontes

Jornal Extra, 23 de fevereiro de 2015: http://extra.globo.com/noticias/rio/prefeitura-de-sao-goncalo-gastou-53-milhoes-com-montagem-de-carnaval-quase-tres-vezes-mais-que-niteroi-15411522.html

4 COMENTÁRIOS

  1. A dicotomia da democracia brasileira perde o circo, porém como já não tinha o pão há muito tempo, não faz diferença. Um governo fraco, omisso e conivente (na MELHOR das hipóteses) me sai com esse factóide na esperança de angariar votos.

    Quero ver é dizer pra onde foi essa grana…

    View Comment
    • Também quero saber. Há boatos que essa grana tem destino certo nas eleições de 2016… mas, como levantar falso testemunho é crime e pecado, vou evitar olhar por essa direção, pelo menos por enquanto.

      Bom ter mais interessante comentando por aqui.
      Fique à vontade para publicar seus textos no SIM São Gonçalo quando quiser. 🙂

      Abraços.

      View Comment
  2. Que isso amigos! Esse nosso prefeito é muito “honesto”. Ele apenas comprou uma casa de 1.255.000 (um milhão duzentos e cinquenta e cinco mil reais ) à vista no condomínio bosque de Itapeva (Maricá), no seu primeiro mês de mandato! Kkk de onde saiu este dinheiro?

    View Comment

RESPONDA AO COMENTÁRIO

Escreva seu comentário aqui.
Por favor, insira seu nome aqui.